sábado, 31 de outubro de 2015

O que disse 10: Uma deusa chamada tradição

 

Um dos assuntos de maior debate na religião evangélica, por incrível que pareça não é o pecado, nem a volta evidente de Jesus, mas a tradição e a sua observância ou não. Uns a amam, outros a desprezam e como consenso não é mandamento, ainda falaremos muito sobre isso.

Os defensores da tradição de herança farisaica, não tem ideia de quão carrascos são. Mas além de negarem a eficácia da morte do filho de Deus visto que criam "normas santificadoras", suas doutrinas tem causado sérios problemas de personalidade aos crentes. Na igreja e na cidade onde vive o crente se veste de um jeito, mas longe do da igreja se veste de outro. Esse comportamento é fruto não de um pecado escondido, mas do temor de um itimidamento público. Em algumas denominações pessoas que não seguem a tradição são vistas como desviadas. E apesar de muita coisa ter mudado, a tradição continua sendo a mais forte base de influência na fé das igrejas tradicionais e aquilo que diz o evangelho na maioria das vezes fica em segundo plano.

A nova geração!

A nova geração evangélica que nasceu num mundo globalizado, aprendeu desde cedo a questionar, pratica proibida outrora e entendida como rebelião. Hoje, mesmo por trás da aparência de aceitação e obediência, os jovens habitualmente perguntam e pesquisam o porque de tudo. Tal fenômeno nada mais é do que um sinal de inteligência, inclusive de inteligência espiritual. A juventude de hoje é a Beréia do passado, ou pelo menos caminha para a ser.

Os danos da tradição para a verdadeira fé!

A fé verdadeira como está escrito, não é justificada com obras, mas pela obediência à princípios. Então querer justificar-se pela aparência é algo pra lá de ignorante, chega até a ser um insulto a sabedoria divina.

Os velhos líderes, cheios de fé, mas não de conhecimento bíblico, ao fundarem o que há época era tido como seita, instituíam regras a serem seguidas. A partir daí aquilo que o líder falara era tomado por revelação divina. No entanto sabemos que só a Bíblia trás tais revelações e não homens bem intencionados.

Com o passar das décadas no entanto, os cristãos evangélicos que eram poucos e excluídos socialmente começaram a estudar e as próprias denominações passaram a produzir conteúdos para instruir seus membros. Porém mesmo com algum conhecimento, questionar era pecado, então a tradição de séculos atrás foi carregada e imposta pelos mais velhos. É certo que eram homens de boas intenções, mas sabemos que para a verdadeira fé, boas intenções não bastam, mas faz-se necessário a observação da verdade revelada.

A tradição semeia o ódio.

A tradição é uma das mais excelentes professoras de ódio e intolerância. Um aprendeu que calção pode, mas o outro que calção é pecado. Um foi ensinado que brinco é coisa do diabo, o outro que brinco é coisa do homem... São muitos os exemplos de como a tradição divide a igreja de Deus e testemunha contra a mensagem da cruz. Notamos então que a palavra de Deus mais uma vez foi deixada de lado em nome de um legado humano.

A tradição despreza a graça da morte do cordeiro

Para pregadores de tradição é muito mais simples compreender a prostituição do que compreender uma mulher que usa calças. Não pode! A Bíblia proíbe! Frases como essas estão sempre na língua de todo bom tradicional. Tais cristãos, não fazem o que a Bíblia diz: não examinam a origem das coisas. Se alguém vai orientar você é mais do que justo que explique de modo claro que não está advogando a própria causa mas a de Deus. Precisamos ser cautelosos, porque não podemos nos tornar massa de manobra de homem algum. O único senhor de todos é Jesus. A esse devemos ouvir unicamente.

A Tradição é uma espécie de deus pagão

Pense comigo. Muitas denominações cristãs possuem seus ajudadores de Deus. Santos, santas, anjos, apóstolos, bispos, símbolos... Para os seguidores dessa doutrina alheia à palavra, a crença em auxílios extra-divinos por intermédio de terceiros não causa problemas espirituais mas complementa a ação do criador. Porém sabemos que tais crenças constituem ofensa gravíssima ao todo poderoso. Afinal se ele sendo Deus não é o suficiente, nada mais é.

Pois bem. Seguindo esse raciocínio, a tradição é uma espécie de ajudadora benevolente ao homem e a Deus. É por meio dela, a tradição, que o homem santifica a si mesmo. Mas sabemos que só o santo Jesus, santifica o pecador arrependido. Se aceitarmos esse viés teológico, teremos que reconhecer que para nada serviu a morte expiatória de Jesus Cristo.
Quando a tradição se torna um deus, acontece o que aconteceu com os israelitas fariseus da época de Jesus. A Bíblia é clara, aquele modo de viver a fé é um equivoco. Afasta o homem de Deus. Gera uma falsa vivência do espiritual. Substitui Deus no coração do homem. (Mateus 15)

A tradição é uma forma de escravidão

A pessoa que está presa luta para ser liberta, porém aquela que não sabe que está numa prisão de nada reclama. A tradição causa uma espécie de atrofiamento da inteligência humana. Esse é outro fator muito importante. Submisso a tradição o pseudo homem livre, já não pode mais exercer uma das principais funções que o assemelham a Deus: questionar! Se ouviu, aceita, acata, bate continência e faz. Será que o cristão deve ser desobediente? Óbvio que não! Porém, verdadeiros líderes cristãos imitam Jesus. Oferecem ao homem o maior percentual possível de liberdade. O cristianismo não é um sistema emburrecedor, mas uma ponte sobre as limitações e percepções humanas. Se pois o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.

domingo, 11 de outubro de 2015

Inoticiando entrevista: Tudo que você gostaria de perguntar a um pregador da teologia da prosperidade

 https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTP1Mwbf8n5LxDnTCs0Bhxqx7HvVAmkGjW5LV-YKOcGUv3Pf5Gr0A 

O HDFT, com exclusividade apresenta sua entrevista com um pastor da teologia da prosperidade. O apóstolo César Benedito de Amorim Ramos, fundador da IIDIP ( Igreja Irreal Do endeusamento Pessoal), topou responder a todas as nossas perguntas e a seguir você acompanha na íntegra o nosso bate-papo.

Blog: Apóstolo, porque sua igreja é acusada de não seguir o evangelho pregando a prosperidade?

Apóstolo: Nossa igreja não prega apenas riqueza, pregamos também unidade familiar e estamos atentos aos anseios da sociedade. Também compreendemos que as criticas vem de pessoas que vivem uma vida fracassada e em desobediência a Deus. Por isso não levamos as críticas a sério, mas como uma forma de reconhecimento.

Blog: Sua igreja comprou diversos horários em canais de tv, tirando inclusive outros pastores do ar. O senhor sabe que essa atitude gerou criticas, sua denominação busca se relacionar com outras igrejas cristãs?

Apóstolo: Nossa igreja não ver necessidade de trabalhar com outras denominações. Mas em algum momento precisarmos, não vejo porque não possamos formar alianças no futuro.

Blog: Sua igreja também faz uso de símbolos místicos, outra prática que também é vista com receio, por outras denominações. O que o senhor pode falar sobre isso? Existe base bíblica para os rituais da sua igreja? As criticas tem fundamento?

Apóstolo: Bem, as pessoas tem conseguidos milagres e alcançado mudança de vida, têm sido curadas. Alguém duvida que isso é coisa de Deus? Eu não! Nem o povo da IIDIP.

Blog: Sua igreja faz diversas campanhas onde se faz  necessária contribuição financeira. Por que o dinheiro é tão presente em suas reuniões?

Apóstolo: O dinheiro não faz mal para ninguém. E se as pessoas tem fé é isso que agrada a Deus e não dinheiro em si. Se as pessoas alcançam as bênçãos é pela fé, o dinheiro é apenas um detalhe. Uma prova de desapego. Além disso, ninguém é coagido a participar e todos que participam, o fazem pela fé.

Blog: Sua igreja por causa dos grandes lucros com dízimos e ofertas, já foi comparada com grandes empresas. Seria a comparação uma forma de preconceito? Como o senhor encara essa comparação?

Apóstolo: Primeiro, não tenho nenhuma igreja. Ela é de Deus. Quanto a comparação a empresa, não vejo como uma ofensa, mas como o resultado do nosso trabalho. A IIDIP conta com uma grande multidão de pastores e colaboradores. Onde há trabalho obviamente há retorno. Nosso dinheiro também é prova da nossa obediência e bênção de Deus. Somos seu povo, ele nos quer ver sempre bem e prósperos.

Blog: O senhor já foi acusado de corrupção e também alguns de seus pastores. No que resultou os processos movidos contra o senhor?

Apóstolo: Nada foi comprovado. Nunca a justiça nos responsabilizou por nada. Acho que isso é prova de que Deus está do nosso lado e que não temos qualquer culpa.

Blog: Seus pastores normalmente não fazem uso de textos bíblicos apenas de argumentações pessoais para atrair novos fieis. O que o senhor pode dizer sobre as críticas à essa estratégia?

Apóstolo: Como bem disse você, tudo não passa de uma estratégia. Assim como Jesus fez uso de milagres para atrair pessoas, nós, como igreja, precisamos apresentar resultados para despertar a fé das pessoas. Em suma é isso que fazemos. Acreditamos na capacidade das pessoas de analisarem o que falamos e reconhecerem que podemos ter a solução para elas, por meio da fé.

Blog: Sua denominação prega a teologia da prosperidade, uma das mais controversas visões do evangelho que inclusive é condenada pela maioria das igrejas protestantes. Existe alguma base bíblica para a teologia da prosperidade? Como justifica-la?

Apóstolo: A resposta para sua pergunta é muito simples. Basta focar nos resultados que alcançamos. Se os resultados são bons é óbvio que trata-se de algo de Deus, o diabo não faz nada de bom para ninguém. Se alguém duvida que venha até uma das nossas igrejas IIDIP e comprove com os próprios olhos o que Deus tem feito em nosso meio.

Blog: Pedimos ao senhor que deixe uma mensagem para nossos leitores.

Apóstolo: Quero convidar a todos para visitar uma dos nossos templos espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Nossas reuniões são abertas para todos os públicos. Que Deus abençoes todos! Obrigado pela oportunidade!

Nota!

Esse é o INOTICIANDO, então, apesar do conteúdo ter muita coisa da realidade, nada aqui é de verdade. Toda entrevista foi baseada naquilo que achamos na internet, porém nossos personagens foram criados para ilustrar nossa crítica ao assunto abordado. As perguntas ao apóstolo e os fatos citados nas perguntas foram inspirados em notícias verdadeiras e em debates sobre o tema, porém tanto o nome do apóstolo quanto o a denominação são fictícios.
Vale no entanto esclarecer que a maioria das igrejas evangélicas mesmo não assumindo são praticantes da teologia da prosperidade.

Curta nossa página no Facebook. www.facebook.com/bloghoradefalartudo

Se curtir, compartilha! Seu comentário é importante para nós!

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

André Valadão Crer Para Ver: Polêmica movida a desinformação e preconceito

 https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSEBHKkQ0y5b_O4Rny4vPf4K5Luqpkzoj9KNKhp7EY18JEzYXnczg 

Depois de ter lido muita coisa maliciosa a respeito da gravação do CD e DVD Crer Para Ver do André Valadão, o HDFT, que esteve no local da gravação e presenciou todo espetáculo comenta agora o que de fato aconteceu.

Antes das gravações...

Antes do início do show, foram realizados vários clamores pelo evento. Além disso o pastor Marcio Valadão, em vários momentos conduziu os presentes a orar e invocar o nome do Senhor Jesus.

O atraso nas gravações...

A gravação do DVD, que estava prevista para começar às 20:00 horas, teve início por volta das 21:40 da noite, com quase duas hora de atraso. O atraso acabou por cansar o público e isso contribuiu para que muitos abandonassem o local do evento antes do termino. Porém esse fato em nada prejudicou o desenrolar das gravações.

A falta de público...

Tudo não passou de uma mentira e das grandes. Até o momento da gravação do espetáculo a área de eventos do Cabo de Santo Agostinho estava completamente lotada. O esvaziamento de fato aconteceu, mas apenas no final do show, quando iniciou-se uma leve chuva. Então, dizer que faltou público é tão boato, quanto dizer que o Cabo de Santo Agostinho é uma cidade miserável.

Problemas técnicos....

Essa seria a razão do atraso. Inclusive uma das astes principais da estrutura não foi ligada em razão do problema. Vale dizer que na hora prevista para o início das gravações o cenário ainda passava por preparação e os funcionários ainda andavam pelas estruturas.

Os 200 mil reais...

Poucas horas antes da gravação alguns órgãos da imprensa inclusive evangélica começou a divulgar que os duzentos mil pagos pela prefeitura à produção do cantor teria causado protestos por parte da população da cidade. Além disso a mídia mal intencionada, exaltou a pobreza da cidade do Cabo, porém é certo que os falastrões nunca estiveram na cidade e tudo não passou de preconceito com o Nordeste. É incrível, mas ainda tem gente "bem informada" lá do Sul/Sudeste que por ter crescido ouvindo das desgraças nordestinas ainda acreditam nessa ofensa desmedida. É verdade que o Cabo sofre com problemas em sua infraestrutura, mas qual é a cidade do Brasil, que não? Por esse motivo fica evidente que tudo não passou de preconceito deslavado, além de claro tentativa de frustrar "um evento gospel". E à título de sugestão, seria muito legal qua a imprensa marrom dita gospel, enviasse seus repórteres para a cidade do Cabo para desse modo fiscalizar os futuros eventos inclusive os seculares.

Momento de Comunhão...

A gravação do CD/DVD Crer Para Ver, além de ter atraído a atenção do Brasil para a cidade do Cabo, também foi um momento de comunhão entre as mais diversas denominações evangélicas. É importante lembrar que Pernambuco ainda vive uma forte separação da igreja. Um evento desse, além do seu potencial midiático também reuniu no mesmo lugar cristãos que durante o show esqueceram placas usos e costumes. O valor disso não tem ser calculado.