sábado, 5 de dezembro de 2015

Criticar: o extraordinário do"ser bom"

http://perlbal.hi-pi.com/blog-images/513969/mn/1264132887.jpg 

Até o dia de hoje eu nunca vi uma única pessoa que afirmasse gostar de ser criticada. Mas é fato que todo mundo em algum momento já criticou isso ou aquilo, esse ou aquele. Faz parte do nosso senso critico, do nosso egoísmo particular. Aos nossos os lhos somos ótimos! Por outro lado notamos com imensa facilidade as falhas alheias.

Criticar os outros não é algo recomendável, mas se você decidir criticar, leia o texto abaixo antes e pense sobre o assunto!

1- Faça a crítica na presença de quem deseja criticar. Quando você fala de alguém na ausência dessa pessoa, você joga sobre sua cabeça um balde de lama. A intenção pode ser sujar alguém, porém é impossível que você não se suje primeiro!

2 - Crítica construtiva! Aponte os pontos positivos e negativos da pessoa. Ninguém é perfeito mas também não há um único indivíduo que seja totalmente mal.

3 - Critica inteligente! Use palavras que expressem aquilo que você quer dizer, mas que mesmo assim não firam a integridade do criticado. É fundamental agir desse modo, afinal o seu real desejo é "ajudar" alguém não humilhar nem desrespeitar.

4 - Tudo tem hora e lugar! Encontre o momento certo. Não critique em público nem com outras pessoas por perto. Se você não respeitar o criticado, cometerá diversos delitos contra o mesmo. Recapitulando, não é esse o seu desejo. O que você quer é melhorar o outro, não destrui-lo.

5 - Seja sereno! Antes de criticar pondere. Talvez não haja necessidade de ser agora. É mais útil um bom exemplo do que um milhão de palavras!

6 - Analise. Realmente essa crítica é necessária? Cabe a você fazê-la? Será que não vai piorar a situação? Se após uma longa análise, você concluir com os critérios certos que sim, então faça! Caso contrário, esqueça!

7 - O outro é você! Trate o outro como gostaria de ser tratado. Como você gostaria de ser tratado? Palavras podem animar, mas quando mal usadas matam e para um morto de ânimo, qual será a esperança?

8 - Pese-se na balança. Você realmente tem cacife moral que te autoriza a criticar? Se você concluiu que sim, peça a opinião de outras pessoas. Só para confirmar!

9 - Sinta como Deus! Procure entender o que se passa com o outro. Procure ver o outro segundo sua ótica. É óbvio que você não conhece o outro, você sequer se conhece! Como então dirá "eu sei o que se passa naquele coração"?

10 - Decidiu? Se você é sensato, já descobriu. Criticar os outros não leva ninguém a lugar nenhum. O sábio e o inteligente, não crítica outros. Ele se critica. O extraordinário do"ser bom" não está em ver os erros alheios, mas em conseguir ver e combater os próprios e perceber o quanto isso te torna semelhante, até mesmo a aquele que desfruta da sua mais profunda desaprovação.

Não gaste seu tempo apontando esse ou aquele. Veja-se! Olhe-se! Analise-se! Torne-se, seu maior crítico e amigo ao mesmo tempo. A vida é importante demais para nos colocarmos como juízes em todas as situações. O que precisamos ao invés disso é aprender pois estamos numa jornada. Peregrinos, lembra?

Foi assim que Jesus Cristo procedeu: ele compreendeu. Mesmo que aos olhos de muitos, o seu amor fosse um ato de rebeldia. Em (João 8, 1: 11) na cena do adultério, o cenário era de morte, mas tornou se em perdão. Em mais uma chance. Em eu não jugo você! Então, vai jogar a primeira pedra?